terça-feira, 30 de março de 2010

Libertação do cabo Pablo Emilio Moncayo

Conforme prometi, aqui vão as informações referentes à libertação do cabo Pablo Emilio Moncayo. O deslocamento do helicóptero até o local do resgate e depois para trazê-lo até seus familiares demorou, por causa do mau tempo. Chovia muito e se temia que os pilotos brasileiros, que não conhecem a selva colombiana, tivessem dificuldade de pouso. Entretanto, tudo correu bem.

O jornal “El Tiempo” de Bogotá fez uma boa cobertura, dentro do possível, e foi através dele que consegui esta série de vídeos que apresento abaixo. Não tenho muito mais a comentar porque os vídeos falam por si sós. Quero apenas deixar o registro para a posteridade. Mas quero salientar, sobretudo, o inegável vínculo de amizade e cumplicidade entre as FARC e Chávez, as FARC e esta criatura peçonhenta que manipulou o desespero do seqüestrado e de sua família, para satisfazer suas necessidades pessoais de vitória nas eleições.

O que se viu, desde a libertação do soldado Calvo até hoje, foi esta mulherzinha infame e criminosa puxando os holofotes sobre si, como se “ela” e o bando criminoso e terrorista fossem os grandes beneméritos. Não deixem de ver esses vídeos que são curtinhos todos, mas muito eloqüentes.

Neste primeiro aparece Pablo nervoso, andando em círculos, à espera de ser levado até a comissão que o entregará à sua família. A rede TeleSur, o canal de televisão de Chávez estava lá dentro da selva filmando tudo. Se estes marginais alegavam “grande perigo” na libertação, e que por isso exigiram que as Forças Militares cessassem toda e qualquer atividade 36 horas antes e mais 36 depois da entrega, como o cabo Moncayo foi filmado? “Quem” a não ser um íntimo destes terroristas penetra no coração das FARC sem correr qualquer risco, até mesmo de seqüestro?




Aqui a repórter mostra fotos da “comissão humanitária” enviadas pela rede TeleSur no momento da entrega do seqüestrado e se gaba - sem notar que se entrega e entrega seu patrão - de que foi uma “exclusividade” da rede do cúmplice das FARC, Hugo Chávez.




Aqui uma entrevista com o demente pai do cabo, o “professor Moncayo”, em que ele se diz feliz e agradece ao “presidente Lula”. Conforme eu havia comentado na edição sobre a libertação do soldado Calvo, a participação do Brasil neste circo macabro foi exatamente para isto: uma mão lava a outra numa ação entre amigos!

Este velho degenerado levou anos acusando o presidente Uribe de ser o responsável pela prisão de seu filho, esquecendo-se convenientemente, que o culpado por esta situação são as FARC, que seqüestram, assassinam, explodem pessoas, casas e estabelecimentos comerciais e que a devolução dos seqüestrados é uma OBRIGAÇÃO e não um favor. Só não sei se este infeliz que transformou-se em moleque de propaganda da guerrilha, vai entender um dia…




E finalmente, este video mostra o cabo Moncayo já em liberdade ao lado da gorda, imunda, criminosa e aproveitadora da dor alheia, a embaixadora das FARC Teodora Bolivar, que colhe os frutos do seu crime como se fosse uma heroína.




Uma das cúmplices das FARC, membro do tal “colombianos pela paz”, confirmou que os terroristas anunciaram a Teodora o local preciso onde se encontram os restos mortais do major Julián Guevara que, espero em Deus, seja entregue à sua família para que possam encerrar o luto e dar uma sepultura digna a este mártir das FARC. Fiquem com Deus e até a próxima!

Comentários: G. Salgueiro

3 comentários:

lualvipu disse...

Grcia, tienes toda la razón en presentar el analisis de esta manera. Detras de esa payasada hay un fondo politiquero total, orientado a favrecer la proyección delterorismo omunista en el hemisferio

PATRIOTA disse...

Salve 31 de março de 1964.

Uma data que nos enche de orgulho, por representar o poder de vigilância e de ação das nossas gloriosas FFAA, com total responsabilidade cívica e comprometimento pátrio.

Um dia para ser lembrado como a grande Vitória do Bem sobre o mal.

Um dia comemorado por Homens e Mulheres de bem, cidadãos e cidadãs de boa índole, livres brasileiros de todas as etnias, cores, raças, religiões e classes sociais.

Em torno do dia 31 de março, postam-se de mãos dadas, todos os brasileiros de Alma e Fé, que esperam em Deus uma saída digna para o Brasil, não importando a que custo se tenha que lograr a Vitória, mais uma vez a ser travada pelo Bem contra o mal.

O 31 de março é também uma data cruel, que jamais se apagará da mente dos anarquistas subversivos de ontem e de hoje. Uma data que humilha, envergonha e aniquila o moral dos desgraçados vencidos, a quem, pelas FFAA, como única oferta, fora concedido, tão somente, o direito à rendição.

Portanto, rejubilemo-nos no dia de hoje, e olhemos sempre para frente e para o alto, pois a História se nos oferece para ser consultada, e nela, poder-se-á conhecer que as nossas gloriosas FFAA jamais foram vencidas, pois souberam dar por cumpridas todas as missões que lhes foram impostas, em qualquer tempo e lugar, no Brasil e no exterior.

Neste 31 de março, oremos!

Elevemos o nosso pensamento e rendamos nossos sinceros agradecimentos àqueles que no cumprimento do dever, civis e militares, nos deram a liberdade, cedendo suas vidas à causa pátria, a maioria deles morrendo jovem para viver sempre.

Cada brasileiro, reconheça ou não, tem uma eterna dívida de gratidão para com o Exército Brasileiro, pela sua firme e acertada decisão de sair às ruas naquele 31 de março de 1964, e mostrar aos comunas, ao país e ao mundo, o poder de sua estatura moral, deixando-lhes o recado de que o silêncio faz parte da estratégia e que há sempre o momento certo para agir, até mesmo para a tomada das mais complexas decisões.

Neste dia 31 de março, reflitamos!

Mudemos nossa forma de encarar o problema.

Rechacemos todo e qualquer pensamento de dúvida, de descrença e de desesperança.

Policiemos nossas mentes para enxergarmos o Brasil liberto, uno e soberano, definitivamente desinfectado da escória narco-comuna.

Incondicionalmente, confiemos!

Entendamos que nenhum exército do planeta, sai às ruas comunicando o que pensa, muito menos qual a sua intenção e suas ações futuras.

Acreditemos em Deus, acima de tudo!

Acreditemos na Vitória Universal do Bem sobre o mal.

Acreditemos no Exército de Caxias.

Acreditemos que o dia 31 de março de 1964 foi o prenúncio pacífico de uma grandiosa e definitiva ação corretiva, que a passos largos se aproxima do presente, desta vez mais desejada do que nunca pelo povo, manifestada fora das ruas e sem passeatas, sim, mas concentrando-se nos corações e mentes dos Brasileiros e Brasileiras de Boa Vontade, pelo Brasil a fora, que, ansiosos, aguardam por uma convocação, no momento oportuno.

O Exército Brasileiro é o grande líder na paz e na guerra, e tem muito mais seguidores do que se imagina!!!

Assim se verá!

Salve o 31 de março de 1964.

Salve as FFAA do Brasil.

Salve o Povo Brasileiro.

Hermés de Azevedo disse...

Graça,

Segue uma matéria bem superficial comparando com o trabalho de seu blog. Creio que você já deve ter lido, mas segue assim mesmo para a sua análise, afinal, vindo da “fabiana BBC”, merece o desconto e o olhar atento no viés tendencioso.
Aproveito e respondo a sua pergunta de alguns meses atrás: meu nome é masculino de origem egípcia.
On the front line of the Colombian drugs war em http://news.bbc.co.uk/2/hi/americas/8616092.stm

Hermés