sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Audiência de Alejandro: juiz estrela adia sentença em mais de 4 horas!

Alejandro na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA


A audiência na qual o juiz Luis Cabrera iria dar a sentença ao julgamento de Alejandro Peña Esclusa, estava marcada para 1 da tarde mas foi adiada para as 2:00 o que, como há uma diferença de fuso horário de 1:45 a maior para o Brasil, já deve ter começado.
Falei há pouco com Indira, que estava desde 1 da tarde plantada na frente do Palácio da Justiça e ela me confirmou que o julgamento está sendo feito a portas fechadas, conforme eu deduzi ontem. Quer dizer, isto não é um simples julgamento mas um “tribunal revolucionário” como sempre ocorreu na Cuba dos ditadores Castro. Não foi à toa que o sanguinário Ramiro Valdés foi enviado para a Venezuela, com a desculpa esfarrapada de que iria ajudar no problema energético, quando todo mundo sabe que a única coisa que ele sabe fazer bem é torturar e fuzilar inocentes. Desde a chegada deste maléfico personagem que as perseguições aumentaram, os métodos adotados para incriminar inocentes são os mesmos de Cuba, as expropriações se exacerbaram e o modelo ditatorial de Chávez já não se distingue do de Cuba.
Acabo de receber outro informe de Indira dizendo que, mais uma vez, a audiência foi adiada para 4:00 h., ou seja, não vamos tomar conhecimento de nada antes das 6:00 h. Esses adiamentos podem significar muitas coisas, mas uma delas é que o juiz está divido entre o seu dever constitucional no cargo de que é investido, de libertar um inocente que é vítima de perseguição política, ou agradar ao seu amo, o ditador Chávez. Outra possibilidade ainda é ele ter dado a sentença favorável a Alejandro, da qual Chávez tomou conhecimento, e está lutando para ser revertida a favor do crime que ele e seus comparsas cometeram contra Alejandro.
Isto me lembra da demora em se dar o resultado da consulta ao Referendo Revocatório ocorrido em 3 de dezembro de 2007, quando a Venezuela deu um rotundo não a Chávez e ele não pôde aceitar. Naquela ocasião, a solução encontrada foi diminuir a quantidade de votos (fraudulentamente, é claro) dados contra o Referendo, tornando a derrota de Chávez mais “palatável”. Leiam aqui o que o Notalatina  publicou na época e depois vamos comparar com o resultado do julgamento de Alejandro hoje.
E enquanto este juiz faz guerra de nervos e banca uma donzela cortejada por mil brutamontes, assistam estes dois vídeos abaixo divulgados por Fuerza Solidaria, uma das ONGs presididas por Alejandro. O programa “La Noche”, do canal internacional NTN 24, da Colômbia e dirigido pela jornalista Claudia Gurisatti, entrevistou no último dia 26 Alejandro e Indira. No primeiro vídeo, faz-se um apanhado da vida política e uma entrevista feita a ele, desde a prisão, lida por um locutor. E no segundo, entrevista com Indira e o senador boliviano, Bernardo Gutiérrez, opositor ao governo, e um dos autores da carta emitida a Chávez exigindo a libertação de Alejandro.
Agradeço ao meu amigo Alex, que como sempre, meu fiel escudeiro disponibilizou o link para que eu pudesse divulgar essas entrevistas. Bem, continuo na expectativa da decisão deste juiz estrela, rogando a Deus e ao Divino Espírito Santo que iluminem aquele recinto e façam prevalecer a Sua Justiça. Estarei de volta a qualquer momento, com as últimas notícias. Fiquem com Deus e até a próxima!
Comentários: G. Salgueiro



2 comentários:

STEC CARUARU disse...

Graça Salgueiro,

Parabéns pela sua atenção a este caso, Graça.
Tenho orado pelo Alejandro Peña Esclusa.
Magno Reges

Jorge disse...

Tenho acompanhado seu trabalho em defesa da democracia na América Latina. Parabéns.