sexta-feira, 31 de agosto de 2012

FARC: os novos "donos" da Colômbia

Juan Manuel Santos Calderón, TRAIDOR!  Atualmente o maior inimigo da Colômbia!

Desde a semana passada a Venezuela e a Colômbia estão ardendo em chamas, a primeira literalmente, mas como só agora posso atualizar o Notalatina deixo a Venezuela para outro dia, uma vez que o que vem ocorrendo na Colômbia é de uma gravidade assombrosa que precisa ser denunciado urgentemente. O que vou comentar aqui já foi publicado na mídia nacional, entretanto, como tudo o que se publica no Brasil sobre as FARC é para louvá-las e incensá-las, esta edição apresentará vários vídeos e links para documentos que comprovarão minha denúncia e que são frontalmente opostas às publicadas no Brasil.

Quem acompanha o Notalatina, lê meus artigos ou os que traduzo de colombianos, conhece as denúncias que venho fazendo da traição de Santos desde o dia seguinte à sua posse. Em junho desse ano fiz uma denúncia acerca da lei “Marco para a Paz”, do senador Roy Barreras, e que foi finalmente aprovada no mesmo dia (15 de maio) em que Dr Fernando Londoño sofria um atentado perpetrado pelas FARC em pleno centro de Bogotá. Essa lei, apenas para lembrar, oferece o perdão e esquecimento aos crimes de lesa-humanidade cometidos pelos bandos delinqüenciais colombianos, sobretudo as FARC, enquanto a cada dia que passa mais e mais militares que defendem e defenderam o país desses terroristas estão sendo julgados e encarcerados, com testemunhas e testemunhos FALSOS, condenados a longuíssimas penas como pessoas que representam “um perigo para a sociedade”.

Quando estive em Bogotá ano passado, o jornalista e amigo pessoal Ricardo Puentes Melo, me confidenciou que tinha informações desde maio de que Santos estava em “conversações” com as FARC para “negociações de paz”. Não anunciei isto porque ele me pediu reserva, pois ainda não tinha as provas daquela afirmação, embora asseverasse que sua fonte era de credibilidade A1. Passou-se um ano dessa conversa e os rumores corriam na Colômbia nesse sentido, embora Santos sempre negasse, alegando que “quando o momento propício chegasse” os colombianos seriam informados por ele. Ocorre que tudo estava sendo tramado desde fevereiro deste ano, às escondidas, em encontros secretos realizados em Cuba, cujos ditadores, junto com Hugo Chávez, são os maiores padrinhos e promotores das FARC.

Então, no dia 23 de agosto, através do canal estatal colombiano Canal Capital Bogotá, é anunciado o que todos sabiam e temiam: “O governo anunciará nos próximos dias o início do processo de paz com as FARC”. Mais absurdo do que a notícia em si, é saber que todas as informações a serem divulgadas estão sob o controle do canal chavista TeleSul, conforme pode-se comprovar aqui. E no dia 27 o país é sacudido por este terremoto: o início das conversações estão sendo feitos em Havana, entre membros do governo e das FARC, como se fossem dois Estados em conflito com os mesmos direitos legais garantidos pela Convenção de Genebra. No Brasil esta aberração, feita pelas costas e sem a participação dos cidadãos colombianos sobre seu próprio destino, foi comemorada como um fato “auspicioso”, segundo Editorial de O Globo de ontem. 

É imperioso se observar que são as FARC quem estão determinando TUDO acerca desse “acordo de paz” que será feito em Cuba, tendo como “garantidores” a Venezuela de Chávez e os Castro, de que tudo o que for acordado será rigorosamente cumprido. Ora, “Timochenko”, o cabeça das FARC, é formado em Cuba e na Rússia, e vive numa fazenda de Adan Chávez, irmão do ditador, segundo denúncias do corajoso padre venezuelano José Palmar. Chávez abriga em seu território, além de Timochenko, Rodrigo Granda que é um dos “negociadores” por parte do bando terrorista, “Iván Marquez”, “Pablo Catatumbo” e outros cabeças do ELN, fatos absolutamente comprovados por fotos de satélite, cuja denúncia feita por Uribe à OEA, foi providencialmente retirada tão logo Santos assumiu o governo.

Além disso, segundo os Estados Unidos, Cuba é o maior patrocinador das FARC junto com a Venezuela, e são estes dois países os que estão dando as cartas para tal acordo. Estão apoiando essa idéia macabra e criminosa os países e organizações afins ao bando terrorista como o próprio Foro de São Paulo que alberga todos os países comunistas dos três continente, a ALBA, a UNASUL, a Izquierda Abertzale, que desde o início do ano vem se imiscuindo na Colômbia apoiando a mais nova organização das FARC, a “Marcha Patriótica”, e que deu esta declaração há poucos dias:


 

Ocorre que no ano passado o bando terrorista ETA (Euskal Erria) anunciou o fim de suas atividades delitivas e o desejo de se integrar à vida política do país, entretanto, JAMAIS depuseram as armas e há pouco (no início desse ano) voltaram a delinqüir.

Este documento que o Notalatina apresenta com exclusividade para o Brasil, até então secreto e que foi descoberto e denunciado pelo ex-vice-presidente Francisco Santos, cita a data em que começaram as negociações, bem como o plano traçado em todos os seus aspectos. Embora digam em todo o documento que “A construção da paz é um assunto da sociedade em seu conjunto que requer a participação de todos, sem distinção, o respeito pelos direitos humanos em todos os confins do território nacional é um fim do Estado...”, o povo colombiano, cujo destino está sendo decidido por um bando narco-comuno-terrorista que não cessa sua barbárie e crimes de lesa-humanidade, sequer foi informado de que se estava gestando tal acordo! Do mesmo modo, no dia 26 de agosto as FARC cometeram mais um de seus atentados contra este povo do qual elas se dizem representantes, colocando uma bomba num taxi que deixa 6 mortos, dentre elas duas crianças. E são esses monstros que pretendem negociar o fim da guerra e que, apesar de demonstrar diuturnamente, todos os dias, que JAMAIS vão abandonar as armas e a violência, estão recebendo o apoio incondicional de quase todo o Congresso Nacional e das maiores autoridades judiciais do país.

Dentre os pontos a serem debatidos estão uma reforma agrária, que sem dúvida será a que as FARC já têm há anos e que decreta o fim da propriedade privada, a re-incorporação das FARC à vida civil - no plano econômico, social e político -, de acordo com seus interesses, revisão da situação das pessoas privadas de liberdade, processadas ou condenadas, por pertencer ou colaborar com as FARC. Quer dizer, nesse rol contempla-se com o perdão e a anistia à “embaixadora” das FARC, a ex-senadora Piedad Córdoba, cognominada “Teodora de Bolívar”, e todos os que hoje são suspeitos e ainda não julgados por seu envolvimento direto com o bando terrorista. As portas das cadeias serão escancaradas para os terroristas e lá dentro serão trancafiados os “perigosos” militares e policiais que cumpriram com o seu dever!

O lema das FARC é: "Juramos vencer e venceremos!" O risinho de deboche de "Timochenko" confirma

Como se essa monstruosidade já não fosse criminosa o suficiente, o Promotor Geral da Nação, Eduardo Montealegre afirmou que “se for necessário para conseguir a paz, prefiro Timochenko e Márquez no Congresso e não seqüestrando e semeando a Colômbia de violência”. Acrescentou ainda, o irresponsável e pró-terrorista Montealegre que “o Ministério Público apoiará o Governo no processo se for necessário entregar salvo-condutos a chefes guerrilheiros que vão ingressar no país. O ordenamento jurídico permite ao Presidente da República dar facilidades, solicitar suspensões de ordem de captura institucionalmente, e no marco da Constituição esse processo teria todo o apoio logístico e institucional por parte do Ministério Público”. É este o exemplo de uma das mais altas autoridades do país aos jovens: ser terrorista é o correto e legal!

Este documento de 1993 e atualizado em 2005, foi o que serviu de base para as propostas das FARC nesse tal “acordo de paz”. Nele, as FARC reafirmam que seu objetivo é a tomada do poder e insistem na necessidade de desenvolver o Partido Comunista Colombiano Clandestino (PC3), sustentado no  marxismo-leninismo-bolivarianismo. Esta é mais uma exclusividade do Notalatina que nenhum jornal brasileiro está interessado em conhecer, pois são coniventes com tudo o que o governo brasileiro, sócio das FARC, determina. Está em espanhol mas sugiro que leiam, assim como os vídeos apresentados aqui, pois NADA disto é denunciado ou discutido no Brasil.

E para encerrar, deixo-lhes com um vídeo do Editorial de hoje (30.08) do Dr. Fernando Londoño em seu programa radial La Hora de la Verdad, que reflete, com sua reconhecida eloqüência e clareza de exposição, toda a indignação que eu e todos os que conheceram este infame documento sentimos, ao tomar conhecimento da trama sórdida e criminosa que o presidente que foi eleito por mais de 9 milhões de colombianos que desejavam o fim do terrorismo das FARC, hoje o vêem entregar o país de bandeja aos verdugos de seu próprio povo. Ninguém, além do ex-presidente Uribe, expressou tão bem a perplexidade e revolta de todos os colombianos diante de ato mais brutal do que os próprios atentados, seqüestros, massacres, estupros e assassinatos de menores, destruição de aquedutos e linhas de transmissão de energia, minas terrestres semeadas pelo país. Com este infame acordo, as FARC passam a ser as novas donas da Colômbia e são elas que dão as cartas. Rezemos pela Colômbia porque amanhã poderemos ser nós as vítimas dessas monstruosidades. Fiquem com Deus e até a próxima!



Traduções e comentários: G. Salgueiro

3 comentários:

Gladstone disse...

Essa coisa já vinha se desenhando a algum tempo, mas eu, na minha absoluta ignorância achava que não ia acontecer.
O pior é que dá para ver um paralelo nisso e que ocorre aqui. A américa latina está perdida.
Parabéns pelo trabalho Graça, e continue na luta.

PoPa disse...

Impressionante!

Anônimo disse...

É preciso destituir esse sujeito e seu corpo político da presidencia da Colombia! Os colombianos devem exigir a extinção das FARCs por balas e não por conversas fiadas! FORA CALDERÓN!