segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Ainda Honduras

Continuando com as últimas informações sobre Honduras, o Notalatina agradece e publica uma informação “curiosa” de um(a) leitor(a) de nome “Esperança”, documentos sobre o quê está emperrando a decisão final da Comissão da OEA que estuda a crise, e informes transmitidos pelo meu correspondente hondurenho. A propósito deste correspondente, semana passada um leitor auto-intitulado “Irado” (deve viver de mal com a vida, creio...) postou um comentário que não publiquei mas comento-o aqui.

Este leitor começa desacreditando minha fonte e me alertando a não ser “tão crédula” a respeito das informações que recebo. Critica, esta pessoa, o fato de eu não ter dado nome à minha fonte e questionando o fato de eu ter dito "um correspondente de honduras" que, para ele, não merece crédito. Eu não falei “UM” mas “O”, o que faz toda a diferença. Este correspondente tem nome, sobrenome, um blog e é uma pessoa séria e confiável; se ainda não o chamo de “amigo” é porque a relação é muito insipiente para poder catalogá-lo desta forma. E se eu não citei seus dados foi porque não o consultei para saber se poderia divulgá-los. Ademais, o e-mail indicado para as cartas endereçadas ao presidente Micheletti obviamente que não é o da Presidência, mas um endereço criado para que as pessoas se manifestassem. Eu não sou idiota e creio que meus leitores também não são, tanto que muitos enviaram suas cartas de apoio, entre eles meu Mestre e amigo, o filósofo Olavo de Carvalho.

Explicado isto, passo às informações. Na sexta-feira as negociações foram suspensas porque há um ponto que continua emperrado, que se refere à deposição de Zelaya, e devem retornar hoje (segunda-feira). Alguns dos seguidores de Zelaya deixaram a embaixada brasileira, restando agora com ele apenas 26 pessoas. Na reunião da ALBA o tema central foi a exigência da restituição de Zelaya e mais uma pressão sobre a OEA e Obama, para que endureçam as medidas econômicas restritivas ao governo de Micheletti. Tudo isto foi encabeçado pela amante de Zelaya, a ex-chanceler (que ainda acredita ser a rainha da cocada preta) comunista formada na “Universidade dos Povos” – ex Patrice Lumumba na Rússia – e logo apoiada por Chávez, Morales e Ortega, os dinossauros mais abjetos destas bandas.

Quer dizer, esta gente está se lixando para o povo que dizem advogar e defender, pois cada vez que mais sanções são impostas, não é o Sr. Micheletti particularmente quem sofre, mas o povo e justamente os mais pobres. Mas na lógica das cabeças doentes desses comunistas, é assim que a coisa funciona. Para que se tenha idéia de como esta gente é obtusa e contraditória, nesta mesma reunião o índio cocalero que presidiu o encontro solicitou a Obama que, fazendo jus ao prêmio Nobel recebido, o muçulmano suspenda o embargo a Cuba, alegando que “o povo cubano não merece tantos anos de privações”. Não é um primor de esquizofrenia?

Com relação às contradições acerca daquela declaração publicada na edição anterior, respondi a alguns leitores o que me parecia ter acontecido e agora meu correspondente hondurenho coincide com o que afirmei. Diz ele: “A ONU não tem um organismo que se assemelhe à Biblioteca do Congresso, então tem que solicitar consultorias independentes, as quais se canalizam através da dependência de Assuntos Políticos.

A Comissão de Assuntos Políticos da ONU solicitou uma análise do ocorrido em Honduras e a resposta do analista independente foi que os fatos acontecidos foram Constitucionais e foi este o informe que saiu na imprensa. Ban Ki-Moon se manifestou dizendo que aquele documento não refletia a posição do pleno da Assembléia Geral da ONU e daí temos duas possibilidades: 1. A ONU solicitou a análise esperando que o informe se inclinasse a favor de Zelaya e fosse congruente com a posição da Assembléia para não ficar tão mal. E 2. Apesar do informe, com cujo resultado não contavam, a Assembléia não vai mudar sua posição frente ao problema, expondo-se às criticas. Em outras palavras: gastam dinheiro em informes privados para depois jogá-los na lixeira se não lhes convém...”.

Com relação às proposta e o que está travando uma conclusão, traduzo abaixo o que se tem até o momento, recebido de fonte hondurenha:

A PROPOSTA DE MICHELETTI

SOBRE O RECONHECIMENTO DOS PODERES DO ESTADO

Para conseguir a reconciliação nacional e fortalecer a democracia, reconhecemos a legitimidade dos poderes constituídos em 28 de junho de 2009: o Poder Legislativo, Poder Judiciário e o Tribunal Supremo Eleitoral, por haver sido conformados segundo os Artigos 202, 205 parágrafos 9 e 11 da Constituição da República.

Quanto à pretensão do cidadão José Manuel Zelaya Rosales de retornar à Presidência da República, condicionamos nosso acordo ao critério institucional da Corte Suprema de Justiça, como ente encarregado constitucionalmente da aplicação da lei.

O dito acima implica que a opinião do Poder Judiciário terá caráter vinculante e, por conseguinte, de cumprimento obrigatório para as partes intervenientes neste Diálogo.

Para este propósito, respeitosamente formulamos atenciosa solicitação ao Poder Judiciário e para efeito se dá curso aos termos do presente acordo.

A PROPOSTA DE ZELAYA

SOBRE O RECONHECIMENTO DOS PODERES DO ESTADO

Respeitosamente solicitamos ao Congresso Nacional que, previamente ao dictamen das instâncias pertinentes, se o considera necessário, emita a decisão correspondente a esse ponto que diz textualmente:

“Para conseguir a reconciliação e fortalecer a democracia, solicitamos ao Congresso Nacional que, para efeitos de recuperar a integração e legítima conformação dos poderes constituídos em 28 de junho de 2009, no procedente retroaja a situação do Poder Executivo e do Poder Legislativo por haver sido conformados segundo os Artigos 202 e 236 da Constituição da República de Honduras.

O dito acima implica o retorno de José Manuel Zelaya Rosales à Presidência da República até a conclusão do atual período governamental, em 27 de janeiro de 2010”.

Percebem onde está o nó? Micheletti recorre à Suprema Corte de Justiça, que foi quem ratificou e emitiu a ordem de deposição – estabelecida pela Assembléia Nacional -, enquanto Zelaya quer que, praticamente, se anule tudo o que foi decidido por essas instâncias, se retroaja como se não tivesse havido sua deposição e, automaticamente, ele retorne ao poder. O que ele pretende – cinicamente- é que se anule tudo o que legal e constitucionalmente foi feito e ele volte como se tivesse saído de férias! Vamos ver em que isto vai dar mas uma coisa é ponto pacífico: para o novo Governo, este retorno é INEGOCIÁVEL porque é inconstitucional.

E vejam só o que o jornal “El Espectador”, um órgão descaradamente zelaysta, publicou na sexta-feira passada:

O Presidente da República, Manuel Zelaya Rosales, faz um chamado de urgência à Frente Nacional de Resistência de todo o país, para que acudam de imediato à capital para se manifestar a favor de sua restituição.

Tegucigalpa. “Faço um chamado à Resistência para que acuda o mais rápido possível a Tegucigalpa, a fim de pressionar os golpistas a que permitam o restabelecimento da ordem constitucional”, disse isto o legítimo governante, que espera que às 10:30 da manhã desta sexta feira, se defina seu retorno.

O prazo de doze horas solicitado pelo regime golpista de Roberto Micheletti caduca na hora acima indicada, e existem altas possibilidades de que Zelaya retorne ao poder em questão de horas, dependendo da postura que a ditadura tome a respeito.

Agora, quando Micheletti decreta o fechamento de certos órgãos da imprensa (jornais, rádio e televisão) por incitação à rebelião, é rotulado de “ditatorial”, como faz este pasquim... Nós já vimos este filme há muitos anos! Além disso, esse jornal planta desinformação por que não há, até o momento, nenhuma perspectiva desse retorno de Zelaya, conforme pode-se ver na proposta de Micheletti.

E este comportamento afrontoso não começou agora; ele tem sido assim desde a deposição, pois o que “Esperança” descobriu e divulgo aqui no Notalatina publicado em um site comunista português, indica que desde o dia 7 de julho, uma semana depois da deposição, portanto, Zelaya criou um governo paralelo e ilegal, que opera através da Internet e que está se mantendo até hoje através dos equipamentos, energia e espaço territorial da Embaixada do Brasil, agora transformada em estribaria zelaysta.

Neste endereço http://antreus.blogspot.com/2009/07/site-provisorio-do-governo-de-honduras.html o autor diz que neste endereço http://www.guaymuras.net/ pode-se consultar o que está acontecendo em Honduras “para além do noticiário internacional de origens diversas”. Neste blog português há uma chamada para que todos acessem o “site oficial do governo de Honduras” neste endereço http://www.gob-hn.net/presidencia/. Entretanto, quando se clica aí o site que aparece não é o oficial, inclusive tem um quadro com incontáveis fotos anunciando que aqueles são os “golpistas”. O site OFICIAL do governo hondurenho é este aqui: http://www.gob.hn/.

Sugiro que vocês consultem todos estes endereços para verificar o tamanho da canalhice de que esta gente é capaz. Parece até coisa de criança voluntariosa, que fica negando a realidade quando ela lhe é desfavorável. Mas não é isso não, pois no caso do comportamento infantil é apenas uma dificuldade de lidar com as frustrações que, se bem trabalhada, passa e tem conserto.

O caso de Zelaya e de todos os que o apóiam, incluindo aí Lula, MAG, Celso Amorim, Chávez, Ortega, Morales e toda esta gang de desordeiros que fazem coro com ele, é de psicopatia mesmo, e não tem solução, a não ser tirando-os do convívio com as pessoas normais.

Estava fechando esta edição quando acabo de receber de uma amiga esta publicação do site Hondudiario.com, que corrobora tudo o que eu já havia dito, tanto aos leitores daqui quanto os do Mídia Sem Máscara, como também o que falou meu correspondente hondurenho, a respeito da dubiedade de informações sobre o parecer da Comissão e a nota publicada no site da ONU desmentindo o que foi divulgado. Como a matéria é grande não a traduzo, mas quem quiser confirmar é só clicar sobre o nome do periódico para conhecer toda a situação. Fiquem com Deus e até a próxima!

Traduções e comentários: G. Salgueiro

8 comentários:

José de Araujo Madeiro disse...

Estimada Graça Salgeiro.

Seu trabalho tem um valor histórico extraordinário, assim é digno das melhores referências por cidadãos brasileiros, no particular daqueles que se posicionam por uma sociedade que convive na prevalência das leis e da civilidade. Então, não se preocupe com opiniões daqueles que não tem o mínimo de respeito pelos valores sagrados de um estado de direito, da congregação saudável das relações humanas, inclusive de opiniões diversas e inerentes à condição humana. Esses petralhas além de ser pessoas de má-fé, não tem os mínimos predicados de convivencia numa sociedade democrática. São uns bratumontes dos tempos da cavernas e aproveitadores das fragilidades das pessoas mais humildes. Mesmo abusam do anonimato para comentar as nossas matérias.
Na questão de Honduras, os brasileiros decentes devem tomar uma posição definida e irrestrita ao lado daquele povo, com base na sua constituição e das suas instituições democráticas. Se necessário devem tomar a nossa embaixada e expulsar o Zé e demais laia que a transformaram num quartel general. Não devemos nos envolver nas questões internas desse país e portanto apoiando o Micheletti, no que for possível.
Quanto ao Lula jamais esqueçamos da expulsão dos boxeadores cubano, num total desrespeito não só aos dispositivos da constituuição, como da nossa legalidade, mas dos direitos humano. Portanto Lula não tem moral para fazer qualquer comentários a respeito do Micheletti e da situação política daquele país .
Na Paraíba, estamos à sua disposição.

Att. Madeiro

G. Salgueiro disse...

Estimado Madeiro,

Suas palavras me comovem e encorajam. Muito obrigada, de coração!
Que Deus o abençoe e proteja.
Abraço cordial,
MG

Paulo Camargo disse...

Graça,

Essa "negociação" de acordo, a meu ver, é útil para ambos os lados, mas não dará em nada.

Para Micheletti, é um ganho de tempo até as novas eleições, até porque o Poder Executivo não pode alterar, num estado democrático de Direito (como é o caso de Honduras), as decisões do Poder Judiciário por meio de "acordos", principalmente com pessoas que não são nada para o Estado (Zelaya é um foragido da justiça e não detém nenhum cargo público, juridicamente falando).

Segundo, para Zelaya, porque é uma maneira de utilizar a mídia mundial para continuar chamando o governo Micheletti de golpista e parecer que tem ainda alguma legitimidade como chefe de governo nessa história toda e não admitir que é um foragido da justiça, sem cargo público algum, e para fazer o maior estrago possível a Honduras, tentando minar as (agora vejo o quanto) sólidas instituições hondurenhas, tática há muito já conhecida desse pessoal.

Um abraço e obrigado por nos manter informados sobre o que ocorre em nossa América Latina,

Paulo Camargo

Santos Júnior disse...

"Ninguém mente mais que os comunistas", já nos alertava o grande Virgil Gheorghiu.Honduras se mostra cada vez mais soberana e esta o Foro de São Paulo terá de engolir.Honduras não canalhas!!
Srª Graça, força sempre!Continue assim, informar com transparência, sem manipular, sem mentiras, sem lavagem cerebral.A Srª é magnífica!Congratulações!

Esperança disse...

Chavismo por aqui?
Cesar Maia, Folha de São Paulo, 17.10.09

CADA DIA MAIS , políticos brasileiros -ditos- de esquerda perdem a inibição de elogiar Chávez. Um dos elementos da estabilidade política brasileira foi o PT na Presidência da República e o exercício do poder dentro das regras do jogo.

O PT tem dois vetores. De um lado, o sindicalismo, social-liberal por natureza, na dialética empregado-empregador, e pela sólida posição da CUT em sindicatos de bens duráveis de consumo, não estatizáveis. Em crises, reduzem-se os impostos. Do outro lado, a esquerda -dita- de origem revolucionária, que controlou a direção do partido até o "mensalão", quando caiu, arrastando a anterior. A partir daí, os sindicalistas assumiram a direção do partido.

O comando do PT pelo sindicalismo e a presença hegemônica em postos-chave do governo, do presidente aos fundos de pensão, conselhos do FGTS e do FAT, são um duplo poder. O Bolsa Família caiu como uma luva por sua marca social-liberal de igualação do ponto de partida. Com isso, associa a distância sindicalismo e marginalizados.

Aliás, a transposição de líderes sindicais a dirigentes partidários foi criticada por Lênin em seu "O Que Fazer" (1902). E Marx e Engels nunca integraram os marginalizados ao proletariado e repetiam que o lumpemproletariado era a massa de manobra do capital ("Manifesto", 1848).

Os poderes, partidário e governamental, assumidos pelos sindicalistas da CUT, do ponto de vista da estabilidade política, não gera riscos, por sua natureza social-liberal. Porém, como forma de sinalizar aos militantes do PT um sentido tático nas ações de governo, usa-se a política externa em relação ao hemisfério Sul. Por sorte, Chávez radicalizou na frente, e a parte visível da política externa brasileira foi a moderação do presidente. Por mais sinais chavistas dados pelo co-chanceler-sul, o Brasil foi empurrado para o centro por Chávez.

Quando Lula indicou uma candidata da -dita- esquerda revolucionária para presidente, criou uma sensação de descontinuidade no caso de vitória. Mas os meses foram mudando essa sensação, e veio um certo alívio. Até a informação de que o coordenador-geral da sua campanha será o co-chanceler-sul, ostensivamente mesclado ao chavismo.

O desdobramento pós-eleitoral dos coordenadores-gerais de campanha é sempre uma posição destacada no governo (Sergio Motta, Dirceu-Palocci). Dessa forma, o que se pode esperar dessa decisão, de proximidade orgânica com o chavismo, é a certeza disso, e desde agora. Uma notícia preocupante para os que têm a democracia como estratégia, e não só como tática.

Esperança disse...

A farra do Zelaya e sua quadrilha na nossa embaixada e com nosso dinheiro:

http://voselsoberano.com/v1/index.php?option=com_content&view=article&id=1579:zelaya-cumple-4-semanas-encerrado-en-embajada-de-brasil-con-cerco-militar&catid=1:noticias-generales

Esperança disse...

Minha maior satisfação é quando os blogueiros aproveitam os links que posto. Afinal, são horas e horas de pesquisa na internet e interação com outros amigos.

Obrigada, Graça Salgueiro.

Ernesto Heredia Dias disse...

A esta altura dos acontecimentos, as circunstâncias em Honduras são muito interessantes para o Governo Constitucional conduzido pelo Sr Michetetti.

Formalmente o golpista Zelaya “está solto”, porém na prática está preso!

E legalmente está “fora de Honduras” na embaixada brasileira, porém está sob controle e isolado dentro de Honduras.

*** CHEQUE MATE, ZELAYA !! ***

E Micheletti não é responsabilizável por nada disso.

O próprio Micheletti não seria capaz de construir uma circunstância tão CONVENIENTE como esta em que o próprio golpista Zelaya se meteu !!