sexta-feira, 7 de maio de 2010

Quilombo de Palmas: mais um Kolkhoze tupinikin!

O Notalatina esteve sem atualização desde o começo de abril, em decorrência de problemas pessoais que tive de resolver. Hoje eu volto com um assunto que não é o prometido mas que merece toda a atenção possível, pois trata-se de mais um crime do Governo contra a propriedade privada. Chávez descaradamente “expropria” terras e empresas, enquanto o governo brasileiro cria kolkhozes, no mais puro estilo stalinista, disfarçados sob o nome de “comunidades” indígenas e quilombolas. (Na foto ao lado, a entrada de um Kolkhoze da Ukrania, por Echalette).

Na distante cidade de Bagé, no RS, existe uma comunidade afro-descendente do Quilombo de Palmas, na localidade de Pedreira. Ali conviviam há séculos, em perfeita harmonia, proprietários brancos e negros, até que o governo federal resolveu criar a discórdia colocando uns contra os outros.

As criações de falsos quilombos por todo o território nacional vêm há anos sendo postas em prática pelo governo federal, e disto a revista Veja desta semana fez uma longa matéria sob o titulo A farra da antropologia oportunista, em que trata tanto das farsas indígenas quanto de quilombolas.

Em meados de 20 de abril pp., apareceu na comunidade de Pedreira, em Palmas, dona Reginete Souza Bispo, Assessora de Comunicação da esdrúxula Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do RS, querendo reunir-se com a comunidade negra para fazer-lhes uma proposta. Como muitos proprietários de terra negros tinham suas terras herdadas de antepassados mas sem documentação que provasse a posse, aceitaram reunir-se com a tal assessora. Eles pensavam, ingenuamente, que o governo iria facilitar a regularização da documentação mas não foi exatamente o que esta senhora foi fazer lá.

Um legítima espécime petista, dona Reginete veio espalhar a cizânia, criar o racismo do negro contra o branco e oficializar os kolkhozes brasileiros. Para quem não sabe, “kolkhozes”eram as fazendas coletivizadas por Stálin na ex-União Soviética. Daniel Ribeiro Franca, proprietário de 18 hectares, já tem a escritura de suas terras mas foi à tal reunião, quando ficou sabendo que a proposta trazida pela comissária do povo, digo, a representante do governo era de oficializar mais um Quilombo e coletivizar as terras. Ora, para quem conhece a história da Rússia stalinista sabe que “coletivizar” terras significa torná-las TODAS propriedade do Estado, onde os habitantes apenas podem nela viver e plantar, NUNCA podendo fazer qualquer transação se assim lhe houver por bem.

Todos os participantes haviam assinado um documento que só depois entenderam tratar-se da aceitação coletiva da desapropriação das terras dos ruralistas brancos, para dar aos negros do Quilombo. Ao perceberem a farsa criminosa, 58 dos 62 proprietários negros assinaram, organizados por Daniel, outro documento onde se declaram ultrajados pela proposta, além de afirmarem que não têm qualquer interesse em tomar as terras de nenhum proprietário branco, de quem são amigos e parceiros.

Para corroborar a farsa governamental, um blog intitulado “Coletivo Catarse” publica uma nota mentirosa dando a versão da comissária do povo, Reginete, em cuja entrevista, com a cara mais cínica, ela afirma que “os fazendeiros estão fazendo vigília na entrada do quilombo há 15 dias” e que a comunidade corre sérios riscos em seu território “com a presença dos ruralistas fiscalizando o movimento de quem passa para impedir que o INCRA acesse o quilombo”. No final do texto há uma nota informando que “não foram utilizados depoimentos dos quilombolas neste vídeo por solicitação dos mesmos, que temem por represálias por parte dos ruralistas”, mas Daniel Franca desmente cabalmente esta afirmação em sua entrevista.

Dias depois houve outra reunião com a comissária do povo; entretanto, nesta só participaram os negros que querem ganhar terras sem ter feito NADA para merecê-la. Segundo uma amiga ruralista, o Sindicato Rural de Bagé pretendeu participar da reunião mas foi barrado, assim como Daniel. Por sorte, o senhor Favorino Collares, um ruralista branco, conseguiu participar e depois contou que foi literalmente massacrado pela comissária do povo, Reginete, que lhe dizia que ele “havia roubado as terras dos negros” e que teria que devolver de qualquer maneira, que ele “não tinha direito às terras” pois pertenciam aos negros e que o Brasil tem “uma dívida histórica com este povo e vai ser paga”, quer eles gostem ou não.

Daniel Franca é negro e pertence com orgulho à Comunidade do Quilombo de Palmas, mas é um homem íntegro que diz nunca antes ter tido ou havido qualquer problema com seus vizinhos brancos, ao contrário! Tudo o que ele e os 58 assinantes do documento querem, é ver as terras de quem não tem escritura legalizadas, mas se opõem radicalmente a tomar as terras dos vizinhos pelo simples fato de serem brancos. Ninguém tem culpa disto e a terra deve ser de quem a cultiva e trabalha duro, como ele, e os outros proprietários, negros e brancos.

Daniel ofereceu uma excelente entrevista à Rádio Difusora de Bagé, que o Notalatina publica e pede aos seus leitores que dêem ampla divulgação, pois isto é um caso gravíssimo que não está sendo divulgado pela grande imprensa. O mérito do áudio é do meu amigo e assessor de informática, Alex, proprietário dos excelentes blogs Cavaleiro do Temploe Verdade e Liberdade Online, que conseguiu transformar a entrevista em MP3, publicadas já em seus dois blogs.

Ouçam a esclarecedora entrevista de Daniel Franca que de maneira clara a transparente se opõe a mais uma farsa criminosa do Governo petista.



O Notalatina vai ficar atento a este fato e, tendo mais novidades a respeito, divulga para seus leitores. Fiquem com Deus e até a próxima!

Comentários: G. Salgueiro

25 comentários:

Cavaleiro do Templo disse...

Graça, você me enviou o arquivo e eu só hospedei em site outro. Informo que a senadora Katia Abreu e os deputados federais Jair Bolsonaro e Paes de Lira já estão com o link do áudio. Enviei para eles imediatamente após ter ciência do material enviado a mim por você por você. Agora vou enviar aos três o link da matéria acima.

Grande abraço

Cavaleiro do Templo
Alex Brum Machado

G. Salgueiro disse...

Bárbaro, Alex!

Temos que denunciar por todos os meios possíveis, porque aquele povo vive num lugar muito distante onde as coisas acontecem e ninguém noticia, sobretudo quando a denúncia é contra o PT.
Vamos ajudá-los nessa luta e, obrigada uma vez mais pela inestimável ajuda! ;-)
Beijão
MG

Esperança disse...

Oi Graça, repassei para blogueiros, jornalistas e alguns políticos através do Twitter.
Experimente o Twitter vc tem acesso direto a várias personalidades.
Abraços

Carlos Alberto Farias disse...

Quero parabenizar à emissora e também ao Daniel Franca pela corajosa atitude de enfrentar "a faca no pescoço" imposta por certas medias e as esquerdas altamente "democráticas" e "honestas".

Esperança disse...

Foro de São Paulo em ação.
por Arlindo Montenegro
http://montenegroviverdenovo.blogspot.com/2010/05/foro-de-sao-paulo-em-acao.html

Anônimo disse...

Graça.
Vou repassar a uma boa quantia de produtores rurais do RS.
O absurdo é completo. Pessoas de Bagé, com quem tive contato, não sabem da verdade. Já estão aceitando vender as terras para o governo federal.
O produtor rural está com a moral baixa, é chamado de caloteiro por causa da política agrícola adotada por este e os governos antecessores, e só pensa em tentar produzir para sair do enleio das dívidas incalculáveis e impagáveis.
A transferência de renda do campo para os setores de insumos e financeiro, é um crime à Patria.
Obrigado Graça. Fique com Deus.
Fernando Gonçalves

G. Salgueiro disse...

Obrigada pelo repasse, Esperança!
Quanto ao Twitter, tenho sido muito assediada por amigos para me inscrever lá, mas não tenho tempo para administrar tudo isso. Imagine que acabei cedendo aos apelos para entrar no Facebook e nunca lembro sequer de postar nada, hehehe...
Bem, você poderia me ajudar fazendo a divulgação - como acaba de fazer -, não é?
Desde já, muito grata!
Abração
MG

G. Salgueiro disse...

Olá, Fernando,

Faça isto sim, porque é como eu disse e você mesmo constatou: se em Bagé tem gente que desconhece o que está acontecendo debaixo de seus narizes, imagine no resto do país?
Temos, TODOS que defendemos a propriedade privada, a liberdade de ir e vir e a verdadeira democracia, que defender esta comunidade quilombola porque, ao contrário da maioria - que são farsantes aproveitadores -, eles querem o que é justo e correto.
O que deve ser ressaltado é que o Governo, com essas atitudes, está ressuscitando uma prática ignominiosa, que é a escravidão, abolida há tantos anos de entre nós.
Com um discursinho canalha de que quer "resgatar uma dívida antiga contra os negros", o que eles estão fazendo é escravizá-los pela segunda vez, porquanto essas terras NUNCA serão deles mas do Estado; eles ali vão viver como servos, nunca como donos legítimos. E vejam que até os que são proprietários legítimos, com escritura lavrada, vão perder seus direitos.
Conclamo todos a ir à luta, em defesa dos menos favorecidos na imprensa nacional.
Grande abraço!
MG

G. Salgueiro disse...

Olá, Esperança,

Com relação ao post do Arlindo Montenegro, aguarde nova atualização do Notalatina porque essa história está MUITO mal contada. Não por ele, mas pela Polícia Federal.
Abração
MG

Demétrius Surdi disse...

Oi Graça!

Muito obrigado por fazer essa denúncia. Escrevi no meu blog um breve artigo a respeito, tendo o caso como base. É preciso entender o que está por trás dessa atitude, por isso estou ajudando a divulgar.

http://demetriussurdi.blogspot.com/2010/05/kolkhozes-brasileiros-propriedades_8690.html

Abraços,
Demétrius

Uzimeliat disse...

Graça, criei um link da sua denúncia em meu modesto blog "Caminhando..." http://ocds-br.net e a estou divulgando no Twitter. Meus cumprimentos pela excelente qualidade se seus artigos.

Thiago disse...

Sou de Bagé. É revoltante o que estão tentando fazer na nossa região.
Estamos na região do pampa, com solos de alta qualidade, desenhados para pecuária e agricultura. Sofremos ataques constantes, o que causa instabilidade para nossa produção. Primeiro veio o MST, a milícia do PT, para trazer medo ao campo.
Agora, com estas ações querem causar animosidade entre duas raças, criar um problema que não existe. Agentes do governo federal, de regiões muito distantes do país (e dessa forma diferente da nossa), que não têm nenhum conhecimento acerca de nossa cultura e de nosso passado, vêm aqui, dizendo que tudo que nós conhecemos de nossa região não corresponde com a realidade.
Ao deparar-me com esta postagem fiquei extremamente surpreso, pois normalmente nos topamos com artigos apoiando esse tipo de atitude governamental e taxando os produtores como bandidos e exploradores, pois ainda impera a visão comunista de luta de classes.
Outro tema que posteriormente gostaria de trazer à discussão são as reservas legais, tendo em vista as diferenças geográficas no Brasil. O implemento de tais reservas vai tornar extremamente difícil a produção, não apenas em nossa região, mas em todo o país.
Falando apenas no sul rio-grandense, não se pode dizer que tais reservas vão trazer preservação ambiental. Nossa região tem a flora essencialmente formada por gramíneas, ao fecharmos parte de uma propriedade e a mantermos desocupada nada crescera, além de pasto nativo, alguns arbustos e capim annoni, que não é uma planta nativa e sim uma praga trazida da África.
Tais reservas, em minha opinião, só trarão diminuição da produção nacional e, consequente, aumento no preço dos alimentos, além de outros problemas.

Partido Alfa disse...

Moramos em Sant'Ana do Livramento/RS, a 160 km de Bagé. Livramento é uma cidade que tem 32 Assentamentos do MST e posso garantir pra vc: não existe esse clima que eles estão tentando fabricar. Muito pelo contrario. Note-se que o do MNU - Movimento Negro Unificado - nem sequer é negro e muito menos gaucho. O sotaque não deixa duvidas, é um agitador profissional. E essa gente não exitará ante a "necessidade histórica" de se fabricar uma ou mais vitimas. Todo cuidado é pouco, no sentido de se evitar a manipulação com objetivos politicos eleitoreiros.

Cavaleiro do Templo disse...

Ao Thiago e demais internautas. Todas as denúncias sobre este e/ou outros assuntos podem ser enviadas para cavaleirodotemplobrasileiro@gmail.com.

Sei que posso vir aqui e deixar este recado sem que pareça que estou invadindo o site da Graça. O trabalho que esta guerreira tem para escrever seus artigos é "pequeno" perto do trabalho que ela tem com as pesquisas necessárias para produzi-los.

Escrevo também pois notei que novos internautas chegaram até o NOTALATINA, estes não devem ter o e-mail dela.

Abraços a todos

Cavaleiro do Templo
Alex Brum Machado

Mandem para mim

G. Salgueiro disse...

Agradeço ao Demétrius e ao Uzimeliat pelo apoio ampliando a divulgação.
E não é a mim que ajudam, pois não sou negra, não pertenço a qualquer comunidade, tampouco moro em Bagé. É a estas pessoas, que não encontram apoio na grande mídia porque são contrárias aos desmandos governamentais, que temos de nos unir e defender.
Grande abraço a todos!
MG

G. Salgueiro disse...

Olá, Tiago,

Muito importante sua contribuição à qual agradeço sinceramente!
Mas é isto mesmo que eles querem, Tiago: re-escrever toda a nossa história, alterar nossos costumes e crenças para criar o "homem novo", comunista, com o cérebro completamente atrofiado.
E não pense que isto só está ocorrendo no Rio Grande do Sul; aqui em Recife a coisa anda do mesmo jeito, e só não vimos (ou tivemos notícia) de que membros das FARC tenham sido recebidos em palácio, como vez o abjeto Olivio Dutra no tempo em que foi governador.
O que nos cabe, a nós que somos pequenos e sem poder algum? Fazer este trabalho de formiga, denunciando sempre e sem medo.
Confiando em Deus e que somente a Verdade nos libertará, algum dia venceremos esta guerra.
Abração!
MG

G. Salgueiro disse...

Olá, Partido Alfa!

É muito importante receber depoimentos de quem é de Bagé e adjacências, considerando que há pessoas que visitam o blog e lêem os comentários, e vocês só têm corroborado o que denunciei.
Volte sempre e muito grata pelas informações!
Grande abraço!
MG

G. Salgueiro disse...

Querido Alex,

Você sabe que não precisa de "permissão" para postar comentários aqui, uma vez que é meu assistente - super precioso! - naquilo que não tenho competência para fazer. Portanto, sinta-se à vontade!
Quanto ao "nenhum trabalho" para escrever os textos, é verdade; o que me consome - às vezes até dias - são as pesquisas, uma vez que não posso, não quero e não necessito informar mentiras ou ocultar fatos, como tem feito há décadas a grande mídia brasileira.
Use este espaço o quanto precisar, sem pedir licença para tal, ok?
Eu é que lhe sou infinitamente grata por toda a ajuda que você me presta.
Beijão!
MG

Anônimo disse...

SOU DE BAGÉ E GOSTARIA DE PARABENIZAR PELA MATÉRIA, É ISSO AI VAMOS DIVULGAR ESSE PROBLEMA QUE ESTAMOS ENFRENTANDO AQUI.
SE DEUS QUIZER VAMOS CONSEGUIR COLOCAR UM PONTO FINAL NESSA HISTÓRIA, E TUDO VAI VOLTAR A SER COMO ANTES, BRANCOS E NEGROS VIVENDO NA MAIOR HARMONIA.

Eric Moreno Silva disse...

Postei no YouTube:
http://www.youtube.com/watch?v=nTxbCF11DQI&feature=related.

Anônimo disse...

Somos do Coletivo Catarse, uma cooperativa de comunicação independente e gostaríamos de indicar a segunda parte da reportagem que fizemos com os ruralistas que estavam fazendo uma barreira na entrada do quilombo de palmas em Bagé. Nós fazemos jornalismo e ouvimos os dois lados, mas o editor deste blog só viu um deles, oque prejudicou a análise.
veja a reportagem com os ruralistas:
http://www.youtube.com/watch?v=FvN3VCqPyZ0

www.coletivocatarse.com.br

G. Salgueiro disse...

Ao Coletivo Catarse que não teve a coragem de se identificar:

Publiquei sua nota para provar exatamente o que você nega, pois apesar de se dizer "independente", o que vocês fazem, na realidade, é defender as ações espúrias do governo, através do INCRA.
Agradeço sua participação, pois ela vai virar nova matéria neste blog.
MG

G. Salgueiro disse...

Obrigada pela ampliação da denúncia, Eric!
Que Deus o abençoe.
Abraço cordial,
MG

Cavaleiro do Templo disse...

Ô anônimo que "somos" (como se isto fosse possível) uma cooperativa, seguinte:

Se é mesmo independente, porque não consegui deixar meu comentário lá na tua matéria (http://coletivocatarse.blogspot.com/2010/04/quilombo-de-palmas-cercado-pelos.html)? É problema no meu computador? Me ensina como resolver, se for? O engraçado é que meu micro não "apresenta" o mesmo problema neste outro artigo de vocês (http://coletivocatarse.blogspot.com/search/label/MST%20blogagem%20coletiva).

Tem mais: existem dois comentários lá, mas da turminha que está aplaudindo "êsti" (des)governo. Vejam abaixo:

comentários:

Dudu disse...

Olá a todos! Moro em Bagé, e tenho acompanhado o assunto, mais através da mídia independente, já que em Bagé e no RS não existe imprensa, e sim algumas empresas comprometidas com outras causas, que não a informação e a cidadania. Caso precisem de alguma colaboração por aqui, estou à disposição.

Luis Eduardo Lopes Machado

Bagé - RS

luiseduardomachado@hotmail.com


22/4/10

vanda disse...

Olá Companheirada, resistência tem sido a marca quilombola, que tem recebido ataques de todos os lados e muito pouca ajuda para a resolução dos conflitos, o país inteiro está ou esteve em mobilização pela titulação de Terras Quilombola, precisamos articular cada ves mais nossa luta.

Vanda Pinedo

Coordnadora Nacional do MNU (Movimento Negro UNificado)


Coletivo Catarse - independente como um bebê de 2 meses, isso sim.

Cavaleiro do Templo

Aldo disse...

Acho um absurdo os prejudicados aceitarem discutir o assunto sob a ótica da regularização de "terras quilombolas". Ora bolas... aquilo lá não é quilombo! É só examinar os dicionários.