quinta-feira, 13 de maio de 2010

Kolkhoze tupinikin de Palmas - Parte 2

Eu não pretendia voltar a falar do Kolkhoze de Palmas hoje, mas recebi um comentário do tal “Coletivo Catarse” que a princípio pensei em recusar mas depois mudei de idéia; publiquei mas aproveitei a oportunidade para transformá-lo em outra edição, desta vez mostrando “quem” são estas pessoas tão abnegadas, mas tão abnegadas, que sequer assinam seus nomes. Então vamos lá. A nota postada segue copiada abaixo ipsi literis, mas retirei os links, do site deles e do vídeo, que segue publicado mais abaixo, pois está no YouTube e, portanto, é de domínio público. Diz o comentário anônimo:

Somos do Coletivo Catarse, uma cooperativa de comunicação independente e gostaríamos de indicar a segunda parte da reportagem que fizemos com os ruralistas que estavam fazendo uma barreira na entrada do quilombo de palmas em Bagé. Nós fazemos jornalismo e ouvimos os dois lados, mas o editor deste blog só viu um deles, oque prejudicou a análise.

veja a reportagem com os ruralistas:”

Bem, o “outro lado” a que esta pessoa que não tem coragem de se identificar se refere é o deste vídeo, que apresenta uma entrevista com o senhor Daniel Jardim, um ruralista que apenas corrobora o que o outro Daniel, o negro, disse na entrevista que publiquei na primeira parte desta denúncia. Observem a partir do título dado ao vídeo: Ruralistas bloqueiam acesso ao Quilombo Palmas”, onde começa toda a disseminação da mentira, a inversão dos fatos. Você não deve crer no que seus olhos e ouvidos captam mas o que “eles” querem que você acredite e aceite como verdade.

Embora o Sr. Daniel afirme que não são eles que estão promovendo as barreiras, nem estão contra os negros, o repórter insiste em afirmar isto e ainda faz uma tomada do ângulo da estrada, querendo provar sua mentira, que é comprovada com a ausência de tratores conforme se anunciou com tanto estardalhaço. Mais adiante este legítimo representante da nova casta de jornalistas militantes, insiste com o Sr. Daniel que este é um projeto do Governo Federal, através do INCRA, e que por isso eles devem aceitar, como se isto só fosse argumento suficiente para estas pessoas darem seus lombos para os açoites. Não quero falar muito do vídeo que é para que vocês tirem suas próprias conclusões, e vejam o que vergonhosamente se chama de “jornalismo” no Brasil de hoje.




Muito bem, pois agora vamos ver “quem” é esta mídia tão independente. Diz no site deles:

“Catarse é um coletivo de comunicadores comprometidos com a construção de alternativas que fortaleçam a cultura e o jornalismo independentes e enriqueçam o debate público em seus temas mais importantes”. Tudo assim, de um fôlego só, sem uma mísera vírgula! E mais abaixo eles concluem a explicação de sua existência:

“Através de um trabalho autoral e engajado, se aproxima de movimentos e organizações que entendem a cultura como um direito humano e a comunicação como uma ação transformadora”. Acredito que meus leitores já leram Gramsci e Marx, para “sacar” qual é a deste “coletivo”.

E quais são os links que eles recomendam? Vejam só se isto não é assaz terno, independente e maravilhoso:

Agência Brasil de Fato, Agência Carta Maior, Blog do Ponto de Vista (este blog está temporariamente fora do ar, mas vale a pena ler a nota que seu proprietário deixou lá, sobretudo por sua afirmação de que “Jornalismo é revolução”), Carta Capital, Centro de Mídia Independente, Via Campesina, MST, etc.

O site também tem um projeto, intitulado “Ponto de Cultura VENTRE LIVRE”, que se define como “um projeto na interface entre cultura e saúde: a cultura proporcionando espaços de diálogo, relativização de discursos e humanização de relações”. (O grifo é meu). Bem, este projeto é feito em parceria com? Ministério da Cultura, Ministério da Saúde, Cultura Viva, Grupo Hospitalar Conceição, Catarse Coletivo de Comunicação e Graturck.

Como vocês puderam atestar, este grupo que se diz tão “independente” é dependente apenas do Partido-Estado, daí porque defendem tanto as ações do INCRA e do próprio Governo Federal! Eu visitei o tal “ventre livre” e assisti um vídeo horrendo que começa com umas crianças referindo-se à rua onde tem o tal projeto como “ali é a casa dos ricos e aqui é o Ponto de Cultura”. Em seguida, mostram as “atividades culturais” que desenvolvem com as crianças, algo que beira as festividades tribais africanas em sua pior versão. Esta gente deveria se envergonhar de dizer àquelas crianças que aquilo que estão lhes ensinando é cultura, é arte! Ensinam, sim, a miserável luta de classes, desde o berço, além de mentir dizendo aquela batucada de bombos desafinados vai levá-los a algum lugar do mundo civilizado!

Não vou mais falar desse lixo que me deprimiu, revoltou e envergonhou, porque esta gente SABE que está oferecendo lixo podre a crianças e sendo muito bem pagos pelos cofres públicos – leia-se NÓS, OS PAGADORES DE IMPOSTOS -, em troca da deformação mental, moral, psicológica e da militância de pessoas inocentes e indefesas.

Aproveito para postar aqui o comentário que meu amigo Alex fez sobre este tal “Coletivo Catarse”, porque mostra muito bem o que eles representam:

“Ô anônimo que “somos” (como se isto fosse possível) uma cooperativa, seguinte: se é mesmo independente, por que não consegui deixar meu comentário lá na tua matéria (http://coletivocatarse.blogspot.com/2010/04/quilombo-de-palmas-cercado-pelos.html)? É problema no meu computador? Me ensina como resolver, se for? O engraçado é que meu micro não “apresenta” o mesmo problema neste outro artigo de vocês (http://coletivocatarse.blogspot.com/search/label/MST%20blogagem%20coletiva).

Tem mais: existem dois comentários lá, mas da turminha que está aplaudindo “êsti” (des)governo.

Coletivo Catarse – independente como um bebê de 2 meses, isso sim.

Cavaleiro do Templo”.

Bem, eu não tenho rabo preso com ninguém e por isso faço – DE FATO – jornalismo independente. O servicinho de vocês é parcializado em prol do governo, como demonstrei aqui e portanto, vão fazer aquilo que o próprio nome sugere: Vão se catar!

Comentários: G. Salgueiro

13 comentários:

Renato disse...

Prezada Sra. Graça, esse fenômeno "cultural" tomou conta de toda a sociedade. E o pior é que eu já não consigo discernir se as pessoas são movidas por burrice, ignorância ou má fé. Receio que seja uma combinação dos três fatores. Abraço e parabéns pelo ótimo trabalho

Montenegro disse...

Li e ví o vídeo catártico. Estes meninos estão mesmo em catarse coletivista. São fruto das escolas transformadas em centros de catequese ideológica. Nos idos de 1967, seriam guerrilheiros. Contribuem para a tragédia cultural acreditando que estão "mudando o mundo", acreditando que são os "donos da verdade". Como o chefe presidente "não sabem", não veem, não ouvem, não se informam, não entendem o que fazem... São pagos para "brincar" de repórter.
Que tristeza! Que vergonha sinto ao ver este país tão degradado.

G. Salgueiro disse...

Olá, Renato,

Concordo com você que é por estas três razões que estamos nesta situação tão decadente, embora muita gente se iluda com a situação econômica que, se ela vai bem, o país está a salvo.
Estamos é caminhando céleres para o mais profundo do abismo!
Agradeço os cumprimentos e que Nossa Senhora de Fátima, em Seu dia, nos proteja e abençoe nosso Brasil.
Abraços
MG

G. Salgueiro disse...

Arlindo amigo,

Sinto uma dor na alma cada vez que vejo coisas desse tipo, e gente que finge estar fazendo o bem sabendo perfeitamente que está apenas se aproveitando de pobres almas inocentes para encher suas arcas com o nosso suado dinheiro.
Esta gente SABE o que faz! Não são inocentes mas criminosos.
Foi por isso que resolvi abraçar esta profissão, para desfazer os maus-feitos e as "cacas" que encontro pelo caminho com nome de "jornalismo" e pior: independente.
Obrigada por seu comentário que muito acrescenta ao meu blog!
Grande abraço
MG

Aldo disse...

NÃO É QUILOMBO! Por mais que queiram insistir, NÃO É QUILOMBO!

Carlos disse...

Boa, Graça!
Não dê mole pra esses canalhas.
Estou rezando por você.
Carlos.

Anônimo disse...

Muita angustia com o que está acontecendo no Brasil. O comunismo avança, sem qualquer limitação.

Cavaleiro do Templo disse...

Graça, você citou a AGÊNCIA BRASIL DE FATO.

Heitor já publicou sobre ela, olha que coisa linda, é o MST na jogada. As coisas vão se encaixando não mais apenas através de ligações indiretas, por assim dizer. Pois em Bagé, o assunto raiz é a TERRA (coletivização da terra):

Cavaleiro do Templo

http://www.heitordepaola.com/publicacoes_materia.asp?id_artigo=1298

Cavaleiro do Templo disse...

Heitor mostrando mais: http://www.heitordepaola.com/publicacoes_materia.asp?id_artigo=1315

Cavaleiro do Templo

G. Salgueiro disse...

Obrigada pela força, Carlos! ;-)
Abração!
MG

G. Salgueiro disse...

Olá, Sr. Aldo,

Muito obrigada pela correção. De fato, depois do que o ruralista Daniel Jardim explicou, concordo que a expressão esteja, no mínimo, inadequada.
Se assim o fiz nas duas edições, é porque foi dito pelo "quilombola" Daniel Franca, um dos que se opõem à expropriação planejada pelo Governo Federal.
Peço-lhe que me desculpe, mas baseei-me nas declarações de uma das partes envolvidas...
Grande abraço e volte sempre!
MG

G. Salgueiro disse...

Alex, querido,

Mil gracias pelas indicações, pois elas reforçam o que disse nesta edição, de que este "coletivo" não tem independência nenhuma, uma vez que está estreitamente ligado ao Partido-Estado.
Beijos!
MG

daniel disse...

Só você mesmo Graça pra me brindar com dois xarás meus aí no Brasil falando a verdade sobre a revolução socialista em pleno andamento. É muito bom saber que tem gente que não cai neste engodo.A corja comuna não se contenta em querer roubar os grandes produtores através do MST, querem também acabar com os pequenos produtores. Comunista só sabe produzir miséria e cadáver (aos milhões). E o repórter com sua barbinha e boina bem ao estilo mamãe ¨quero ser um salvador do mundo¨ sequer rebateu o que o Daniel disse sobre a Raposa Serra do Sol. Apenas falava em Incra, PUC e antropólogos.Só faltou mencionar Fidel Castro e Lula.
Deus abençoe as pessoas de bem.
Daniel Akatsu
Japão